julho 30, 2010

De volta ao trabalho


Ontem começaram minhas aulas. Como sempre, na primeira semana só aparecem novatos. Tive “a sorte” de ter 2 alunos me prestigiando! Faculdade nova, alunos velhos! Mas vamos ao que interessa: dieta! Confesso que ontem fiquei tentada em comer um docinho ou qualquer grama a mais de carboidrato, fui salva pelas iscas de filet e salada do jantar do Jr. Então, continuo firme e forte nas proteínas J! Ate porque percebi que são alimentos que me saciam mais rápido e em menor quantidade que os carboidratos, que quanto mais como mais sinto fome.  Fui pesquisar sobre isso e achei a reportagem que segue mais abaixo. Ah! Ontem, meu instrutor comentou que já vou mudar de série ;) Hoje é o ultimo dia da série atual, 12 sessões em 1 mês! Espero diminuir a preguiça e aumentar a freqüência, em Agosto.
Dieta Hiperproteica
“Para conquistar um corpo mais firme e forte a receita é priorizar carnes, ovos, leite e derivados, entre outros alimentos ricos em proteína e com baixo teor de gordura.  O macronutriente repara as fissuras causadas nos músculos com o levantamento de peso na ginástica. "Mas não adianta seguir a dieta sem fazer musculação. É preciso combinar os dois para ter resultados significativos a partir de 20 dias", diz a nutricionista Fernanda Machado Soares, do Rio de Janeiro.

Outra fama do regime hiperproteico é a de colaborar para a rápida perda de peso e redução de medidas, com resultados visíveis já na primeira semana.  Com o incremento da proteína e, consequentemente, a escassez do carboidrato, o corpo passa a usar a gordura como fonte de energia, o que leva à diminuição do tecido adiposo. "Além disso, a proteína sacia mais depressa e por mais tempo, exige o dobro de calorias para ser digerida em comparação ao carboidrato e não retém tanta água como ele, o que ajuda a reduzir medidas", completa o endocrinologista Tércio Rocha, do Rio de Janeiro.
Para tirar a prova, pesquisadores dinamarqueses submeteram 65 voluntários a dietas com diferentes porções de proteína. Os que comeram maior quantidade do macronutriente emagreceram mais e perderam o dobro de gordura localizada na barriga. Uma das hipóteses é que a alimentação hiperproteica ajuda a controlar os níveis de cortisol, mais conhecido como hormônio do stress, que faz a adiposidade se acumular na região abdominal. Outro estudo feito nos Estados Unidos, constatou que as pessoas que caprichavam na proteína queimavam o dobro de calorias horas depois das refeições do que os que davam preferência ao carboidrato.
Vale lembrar que a dieta hiperproteica deve ser seguida por, no máximo, um mês, para não ter efeitos colaterais, como cansaço, mau hálito, urina escura e com forte odor, e posteriormente, formação de cálculos renais e aumento do colesterol", alerta Fernanda, que contraindica o programa para hipertensos, cardiopatas, diabéticos e pessoas com problemas circulatórios ou renais. “
Fonte: http://www.educacaofisica.com.br/noticias_mostrar.asp?id=7524

Nenhum comentário:

Postar um comentário